SEJA BEM VINDO, NESTE BLOG VOCÊ ENCONTRARÁ MILHARES DE ARTIGOS RELACIONADOS A MÚSICA.


"PARA SE TORNAR UM BOM MÚSICO É NECESSÁRIO UM POUCO DE TALENTO E INSPIRAÇÃO, MUITO ESTUDO E PERSEVERANÇA, HUMILDADE PARA RECONHECER AS SUAS DEFICIÊNCIAS E MUITO ESFORÇO PARA VENCE-LAS".


______________________"BOHUMIL MED"____________________


=== PARTITURAS PARA TODOS OS INTRUMENTOS =====

===   PARTITURAS PARA TODOS OS INTRUMENTOS  =====
PARTITURAS PARA TODOS OS INTRUMENTOS

ARTIGOS SOBRE MÚSICA

ARTIGOS SOBRE MÚSICA

***** PARTITURAS PARA TODOS OS INTRUMENTOS ************

ESTA SEM TEMPO PARA BAIXAR? ADQUIRA JÁ O SEU.

- Mais de 30 métodos para Flauta tudo em PDF.

- Milhares de partituras eruditas em pdf.

- Playbacks para tocar acompanhado.

- Partituras de musicas populares em formato Encore.

R$29,90 COM FRETE INCLUSO

== CLIQUE AQUI PARA COMPRAR PELO MERCADO LIVRE.

==== COMPRE SUA COLEÇÃO AGORA - MERCADO LIVRE ====

==== COMPRE SUA COLEÇÃO AGORA - MERCADO LIVRE  ====
MERCADO PAGO

* * Aprenda a fazer download no 4shared.

=============MUSICALIZAÇÃO INFANTIL====================

==>postagens<==

Postagens populares

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

UMA ROTINA DIÁRIA BÁSICA – ESTRUTURANDO UM PLANO PARA OBTER SUCESSO TOCANDO TUBA E BOMBARDINO

Uma das preocupações primárias de todo músico é como praticar. A principal meta a seralcançada quando se pratica deve ser o aprendizado das músicas que vamos executar em público. Isto é obviamente importante para muitos de nós, pois a qualidade de nossos desempenhos públicos interfere diretamente na qualidade da comida em nossas mesas. Outro objetivo muito importante da prática esta em aumentar nossa proficiência e habilidade no instrumento. A dicotomia entre preparar as músicas que serão tocadas em breve e o desejo de uma melhora global no instrumento é um conflito que muitos músicos tem dificuldade em negociar. A comparação com atletas é bastante viável neste caso. Quando os jogadores de futebol
entram em campo para treinar, a rotina deles se inicia com leves exercícios de alongamento e alguns outros exercícios diversos que funcionam como um aquecimento e deixam seus músculos preparados para atividades mais específicas. Isto é geralmente seguido por treino de jogadas ensaiadas, chutes a gol, treinamentos específicos para defesa e ataque entre outros fundamentos básicos do futebol. Foi há muito tempo compreendido que para um time jogar bem, os fundamentos precisam ser não apenas dominados, mas sim praticados diariamente. Tudo deve ser trabalhado diariamente em busca de consistência e perfeição antes do jogador entrar em campo para jogar uma partida. Tudo isto é feito para permitir que o jogador controle as demandas do jogo sem ter de pensar em como ou mesmo se o seu corpo vai responder as exigências que virão. Desta mesma forma deve ser tocar um instrumento de metal. Existem atividades físicas básicas e exigências quando se tocam instrumentos de metal que precisam estar além do reino do pensamento consciente, especialmente fora do modo de questionamento, não pondo dúvidas em mentes sensíveis. É por esta razão que uma rotina diária que passe por todos os aspectos básicos para se tocar, se torna essencial. Da mesma maneira que um atleta não pode se preocupar em como seu corpo vai reagir quando ele estiver jogando, o músico não pode ficar pensando se aquela ligadura de oitava vai sair, se aquela entrada em piano vai acontecer. Estes aspectos básicos de nosso desempenho já deveram ter sido amplamente trabalhados em nossas práticas diárias.
Alguns artistas têm uma seqüência estrita de exercícios que eles praticam diariamente antes de começar a prática de música propriamente dita. Outros preferem variar mais seus exercícios, baseados nas necessidades atuais de cada indivíduo e com isto permitindo que cada um escolha sua seqüência baseada nas suas necessidades imediatas, nas suas deficiências atuais e nas músicas que eles estão praticando. Isto permite ao músico estruturar sua rotina diária em porções apropriadas não só reforçando suas forças, mas também confrontando suas fraquezas e modificando a rotina à medida que suas necessidades também se modificarem. Por exemplo, se você esta tocando uma música no registro agudo do instrumento e de forma contínua, é comum que sua capacidade de tocar passagens suaves e sua flexibilidade labial diminuam consideravelmente. Neste caso, o músico que possua uma rotina diária flexível, pode utilizar uma maior parte do seu tempo praticando ligaduras com os lábios e algumas articulações suaves. Em outros casos, você esta tocando muitas notas rápidas, registro muito agudo, é comum que a qualidade do seu som e o seu registro grave venham a sofrer. Neste caso, mais tempo poderia ser gasto com a prática de notas longas, trabalho adicional no registro grave, e exercícios básicos de articulação e colocação de língua. A vantagem de uma rotina diária básica flexível, é que ela permite ao artista um balanço mais equilibrado em sua prática, contornando possíveis problemas decorrentes do trabalho específico que ele esteja realizando no momento e que pode prejudicar certos aspectos de sua performance. Uma boa coleção de material para prática diária básica pode ser encontrada no Método Completo para Tuba de William Bell, na parte de aquecimento e rotina diária, publicado por Charles Colin. Este livro contem uma rápida, porem eficiente, seqüência de exercícios que o levarão depressa aos rudimentos de tocar: produção do som, articulação, exercícios rápidos de língua, escalas e arpejos.
Minha rotina básica diária consiste num conjunto de exercícios que, dependendo da quantidade de tempo que eu tenho para trabalhar neles, podem durar de 20 minutos até 2 horas de prática. Embora eu tente trabalhar diariamente em cada área, eu divido o tempo de trabalho de cada área, confrontando minhas forças atuais com minhas fraquezas. Existem oito áreas na minha prática que eu tento cobrir a cada dia. Eu acredito que funcione melhor para eu atravessar estas áreas na ordem em que elas estão listadas, através de exercícios musicais específicos para cada uma delas.
1. Respiração Profunda e Produção de Som. Aqui é onde minha prática diária se inicia buscando respirações profundas, relaxadas, abertas constantemente, procurando exalar o ar sem restrições ou fechamento da garganta, e produzindo um som lindo, consistente e ressonante. Nesta área eu utilizo os exercícios de notas longas do Método do Max Schlossberg, publicado por M. Baron Company.

2. Resistência, Flexibilidade e Fluxo de Ar Constante. Depois de ter certeza que a respiração e a produção do som estão em seus lugares, eu volto minha atenção para exercícios simples de ligaduras e manutenção do fluxo de ar constante. Exercícios de ligaduras de lábio através da série harmônica como os encontrados no Schlossberg e nos exercícios do grande tubista Arnold Jacobs, encontrados no final do Método Avançado para Banda, livro de Tuba, da editora Hal Leonard, são perfeitos para esta prática.

3. Registro Grave e Amplitude Sonora. Tubistas freqüentemente negligenciam seu registro grave, enquanto desejam igualar a habilidade pirotécnica e a excitação de tocar notas agudas exibidas pelos trompetistas. Isto não quer dizer que tubistas não devam desenvolver velocidade de execução e muito menos não devam desenvolver seu registro agudo, mas isto não deve ser feito em detrimento de seu registro grave e da qualidade de seu som, o que faz com que um trabalho diário no registro grave se torne essencial. Exercícios de notas longas no extremo grave são um bom início desta prática, seguido pelos 43 Bel Canto Etudes para Tuba de Marco Bordogni, tocados uma oitava a baixo, publicados por Robert King. Uma publicação um pouco mais recente e também excelente para trabalhar esta região são os Low Etudes for Tuba de Phil Snedecor, também publicados por Robert King.

4. Consistência da Articulação e Colocação da Língua. É muito importante que o controle e correta posição da língua durante a articulação sejam estabelecidos e mantidos. Como a formação bucal varia entre cada indivíduo, é importante que cada um descubra a melhor posição para si. Alguns exercícios básicos de articulação devem ser praticados a cada dia para dar a segurança de que as corretas sílabas de articulação estão sendo utilizadas e que a articulação está consistente. Alguns dos melhores estudos básicos de articulação podem ser encontrados no Método Arban e incluem os exercícios de semínimas, colcheias e semicolcheias, encontrados logo no início do método. Estes exercícios deveriam ser praticados diariamente.

5. Estabelecimento e controle de um Grande Espectro de Dinâmica. Neste ponto de minha rotina diária, é muito importante checar se o controle do fluxo de ar esta completo, para que ambos, tanto piano quanto fortíssimo, possam ser tocados facilmente. Para esta checagem, eu procuro utilizar trechos orquestrais variados, como por exemplo, o ¨Romeu e Julieta¨ de Prokofiev, ou algumas passagens da ópera ¨Das Rheingold¨ de Wagner, inclusive a Entrada dos Deuses em Valhalla, o solo do Gigante e o solo do Dragão.

6. Técnica, Destreza dos Dedos e Registro Extremo. Depois que as áreas básicas de execução, respiração, produção do som, controle de ar e colocação de língua foram trabalhadas, é hora de dar um pouco de atenção em técnicas mais complexas, com maior velocidade e no registro agudo. Para esta parte eu utilizo pelo menos dois grupos de escalas e arpejos diariamente que incluem maiores, menores naturais, harmônicas, melódicas, escalas maiores em terças, quartas e escalas de tons inteiros. Escalas são o elemento básico de todas as músicas que nós tocamos e precisam estar sob completo controle. Além do trabalho com escalas específicas, exercícios técnicos encontrados no Método Arban e no Herbert Clarke Technical Studies, publicados por Carl Fischer, constituem-se num excelente material para se conseguir um refinamento técnico adicional.

7. Expressividade e Melodias. A essência da música é a melodia, e na maior parte do repertório tocado pelos tubistas, nós não temos grandes oportunidades de tocar melodias bonitas. A habilidade para executar melodias é indispensável para qualquer músico e os tubistas devem fazer desta habilidade o foco central de sua prática. Os 43 Bel Canto Etudes de Marco Bordogni constituem-se num excelente ponto de partida. Outra coisa que eu gosto muito de fazer é tocar as melodias bonitas escritas para outros instrumentos, como por exemplo, o solo do Cisne do Carnaval dos Animais, a Reverie de Schumam e o Largo do Inverno de Vivald. 8. Ultrapassando os Limites. A pessoa tem sempre de se esforçar para obter um completo controle técnico do instrumento. Devem desafiar-se com exercícios mais difíceis, músicas novas e mais complexas entre outras coisas. Outros livros que podem também ser utilizado são os 70 Estudos do Blazhevich e os 60 Selected Studies do Kopprash, publicados por Robert King, Bixby-Bobo Studies in Bach, publicados por Western International e os 12 Special Studies de Maenz, publicado por Hofmeister.
As áreas e exercícios listados acima podem servir de sugestão para o início da formulação de sua própria rotina diária, uma coleção de estudos que podem variar de acordo com o tempo disponível para sua prática e também de acordo com os problemas específicos que precisem ser resolvidos a cada dia. Cada músico deveria trabalhar para desenvolver sua própria rotina, melhorando e se aprimorando a cada dia e procurando tocar cada dia melhor. Lembre-se que nada no universo está parado, tudo está em movimento. Ou você esta tocando melhor ou pior a cada dia, nunca da mesma maneira.

1 comentários:

Amanda disse...

Leandro...este seu blog é fantástico...quanto material bom! Acesse o meu: www.angeles.musicblog.com.br
Abraços
Paulo (trompetista)